Samarco deve R$ 350 milhões ao Ibama por desastre em Mariana

Três anos após o crime-catástrofe da barragem de Fundão, em Mariana (MG), a Samarco (que tem a Vale como uma de suas acionistas) ainda não pagou nenhum centavo de multa ambiental ao Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis); as informações são do próprio instituto, que ainda informou ter instaurado 25 autos de infração que totalizaram a quantia de R$ 350,7 milhões de multas à mineradora

Samarco deve R$ 350 milhões ao Ibama por desastre em Mariana
Samarco deve R$ 350 milhões ao Ibama por desastre em Mariana (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247Três anos após o crime-catástrofe da barragem de Fundão, em Mariana (MG), a Samarco (que tem a Vale como uma de suas acionistas) ainda não pagou nenhum centavo de multa ambiental ao Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). As informações são do próprio instituto, que ainda informou ter instaurado 25 autos de infração que totalizaram a quantia de R$ 350,7 milhões de multas à mineradora.

A reportagem do jornal O Globo destaca que "os dados revelam a dificuldade que o governo federal tem para punir grandes empresas, mesmo após desastres, como o rompimento de barragens de rejeitos em Brumadinho (MG), que já levou a pelo menos 65 mortes e 279 desaparecidos. No episódio da última sexta-feira, o Ibama já multou a Vale em R$ 250 milhões, por meio de cinco autos de infração."

"No caso de Mariana, a dificuldade para receber o valor das multas ambientais, segundo o próprio Ibama, vem dos recursos apresentados pela Samarco. De acordo com o órgão, a mineradora recorreu de todos os autos de infração e, mesmo após o órgão confirmá-los no âmbito administrativo, a empresa insiste em recorrer 'buscando afastar sua responsabilidade pelo desastre', afirmou o Ibama em nota."

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247