Servidor expulso por Salles da Comissão de Ética denuncia ministro por perseguição e assédio moral

O agente administrativo Marcelo Grossi, expulso por Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente, denunciou o ministro por perseguição, assédio moral e institucional. Ele encaminhou o documento à Comissão de Ética Pública (CEP) e à Ouvidoria-Geral da União

Ricardo Salles
Ricardo Salles (Foto: Lula Marques)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O agente administrativo Marcelo Grossi, expulso por Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente, denunciou o ministro por perseguição, assédio moral e institucional. A informação é do portal O Antagonista.

Após Grossi ser retirado do encargo de secretário-executivo da Comissão de Ética do Ministério do Meio Ambiente, ele encaminhou a denúncia à Comissão de Ética Pública (CEP), associada à Presidência, além de outra semelhante à Ouvidoria-Geral da União. 

Grossi acusa Salles de “ingerência externa” na Comissão de Ética. “Entendo que atuei no estrito cumprimento do meu dever funcional como agente público”, afirma.

“Claramente, a Alta Administração do Ministério do Meio Ambiente editou um ato de forma a destituir, do encargo de Secretário-Executivo da CE-MMA, o informante que, nos termos do art. 4º-C da Lei nº13.603, de 10 de janeiro de 2018, encaminhara informações que davam conta da procrastinação por parte da autoridade máxima do MMA ao longo de 15 (quinze) meses, negando-se a recompor a Comissão de Ética local do órgão desde o primeiro semestre de 2019”, escreveu no texto.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247