Sessão do Conselho de Ética contra Cunha começa com bate-boca

Sessão do  Conselho de Ética que trata do processo de cassação do mandato do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teve o seu início marcado por um bate-boca entre aliados do peemedebista e ativistas que pedem o seu afastamento do cargo; cofusão começou quando o presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PR-BA), recebeu uma petição da ONG Avaaz com 1,3 milhão de assinaturas pedindo a cassação do mandato do peemedebista; coordenador da Avaaz, Diego Casaes, foi xingado pelo deputado Laerte Bessa (PR-DF) de "palhaço, babaca, e vagabundo"; deputado federal Julio delgado (PSB-MG) defendeu o ativista e afirmou: "O Cunha é o campeão de processos da Lava-Jato"

Sessão do  Conselho de Ética que trata do processo de cassação do mandato do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teve o seu início marcado por um bate-boca entre aliados do peemedebista e ativistas que pedem o seu afastamento do cargo; cofusão começou quando o presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PR-BA), recebeu uma petição da ONG Avaaz com 1,3 milhão de assinaturas pedindo a cassação do mandato do peemedebista; coordenador da Avaaz, Diego Casaes, foi xingado pelo deputado Laerte Bessa (PR-DF) de "palhaço, babaca, e vagabundo"; deputado federal Julio delgado (PSB-MG) defendeu o ativista e afirmou: "O Cunha é o campeão de processos da Lava-Jato"
Sessão do  Conselho de Ética que trata do processo de cassação do mandato do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teve o seu início marcado por um bate-boca entre aliados do peemedebista e ativistas que pedem o seu afastamento do cargo; cofusão começou quando o presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PR-BA), recebeu uma petição da ONG Avaaz com 1,3 milhão de assinaturas pedindo a cassação do mandato do peemedebista; coordenador da Avaaz, Diego Casaes, foi xingado pelo deputado Laerte Bessa (PR-DF) de "palhaço, babaca, e vagabundo"; deputado federal Julio delgado (PSB-MG) defendeu o ativista e afirmou: "O Cunha é o campeão de processos da Lava-Jato" (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A sessão do Conselho de Ética da Câmara desta terça-feira (26) teve o seu início marcado por um bate-boca entre aliados do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e ativistas que pedem o seu afastamento do cargo. Momentos antes da abertura, o presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PR-BA), e outros deputados do órgão, receberam uma petição da ONG Avaaz – que promove campanhas online – com 1,3 milhão de assinaturas pedindo a cassação do mandato do peemedebista. Quando o coordenador da Avaaz, Diego Casaes, entregava a petição foi xingado pelo deputado Laerte Bessa (PR-DF) de "palhaço, babaca, e vagabundo".

O deputado federal Julio delgado (PSB-MG) saiu em defesa do ativista. "Que é isso? O Cunha é o campeão de processos da Lava-Jato", afirmou o socialista. "Isso é falta de respeito. Presidente, o senhor não pode se sujeitar a uma coisa dessas", rebateu Lessa.

Na petição, Casaes destaca que "o processo de cassação contra o deputado Eduardo Cunha é uma prova dos nove para nossa democracia. É por isso que hoje, 1,3 milhão de pessoas pedem ao Conselho de Ética que atuem com urgência e responsabilidade para garantir que ninguém esteja acima da lei. Esta é a única maneira de sairmos da crise política atual e darmos um passo histórico em busca de um Brasil mais limpo e democrático".

Na sessão desta terça-feira será feita a oitiva do operador do PMDB Fernando Baiano, preso pela Operação da Lava-Jato. A expectativa é que ele confirme repasses irregulares a Cunha.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247