“Só reforça o que falamos”, diz defesa de Lula sobre diretor da Odebrecht coagido pela Lava Jato

“Demonstramos por meio de perícia que os valores que delatores da Odebrecht disseram que teriam sido gastos no sítio de Atibaia na verdade foram sacados em favor de executivo da própria empresa. O depoimento revelado hoje pela imprensa só reforça o que falamos”, afirmou o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende de Lula

(Foto: Felipe Gonçalves/Editora 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende de Luiz Inácio Lula da Silva, destacou que a defesa do ex-presidente já hvaia ressaltado o que foi revelaod pelo ex-executivo da Odebrecht, Carlos Armando Paschoal, que afirmou ter sido coagido para atribuir o Sítio de Atibaia a Lula. 

“Demonstramos por meio de perícia que os valores que delatores da Odebrecht disseram que teriam sido gastos no sítio de Atibaia na verdade foram sacados em favor de executivo da própria empresa. O depoimento revelado hoje pela imprensa só reforça o que falamos”, tuitou Zanin.

A delação de Paschoal resultou na segunda condenação do ex-presidente Lula, dessa vez pelo caso do Sítio de Atibaia. Ele afirmou que teve de “construir um relato”. “No caso do sítio, que eu não tenho absolutamente nada, por exemplo, fui quase que coagido a fazer um relato sobre o que tinha ocorrido. E eu, na verdade, lá no caso, identifiquei o dinheiro para fazer a obra do sítio. Tive que construir um relato”, disse.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247