Sob o comando de Bolsonaro, Petrobrás esconde vazamentos de petróleo

Incluída no rol privatizações do governo Jair Bolsonaro, a Petrobrás registrou dois vazamentos de petróleo em plataformas do Rio de Janeiro e do Espírito Santo que não foram comunicados ao mercado. Os vazamentos vêm à tona em meio ao desmonte da política ambiental promovida pelo governo que agravou a situação dos incêndios florestais que atingem a Amazônia há 20 dias e provocaram uma forte reação da comunidade internacional

247 - Incluída no rol privatizações do governo Jair Bolsonaro, a Petrobrás registrou dois vazamentos de petróleo em plataformas do Rio de Janeiro e do Espírito Santo que não foram comunicados ao mercado. Os vazamentos vêm à tona em meio ao desmonte da política ambiental promovida pelo governo que agravou a situação dos incêndios florestais que atingem a Amazônia há 20 dias e provocou uma forte reação da comunidade internacional. 

Segundo reportagem do jornal O Globo, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apontou falhas na contenção de um vazamento de óleo na plataforma P-53, localizada na região de Arraial do Cabo (RJ), além de ter relatado que a estatal teria escondido a ocorrência do mercado e comunicado as autoridades ambientais um volume inferior ao realmente vazado das instalações. Situação semelhante teria ocorrido na plataforma P-58, na costa do Espírito Santo.

Nos últimos dias o Ministério do Meio Ambiente, comandado por Ricardo Salles, bem preparando uma proposta que atende os interesses das petroleiras em flexibilizar as regras para o controle e contenção de acidentes do gênero (leia no Brasil 247). A proposta é alvo de críticas pelo Ibama que já se pronunciou de forma contrária às mudanças desejadas pelas empresas do setor. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247