Sondagem 247: para 82%, Mourão está certo ao cobrar explicações do bolsogate

Com mais de 4,2 mil votos até às 16h30, pesquisa na Comunidade do 247 no YouTube questionou a divergência entre os dois principais generais do governo Bolsonaro, acerca do esquema movimentado por Fabricio Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro; 82% concordam que o general Mourão tem razão em cobrar esclarecimentos acerca do bolsogate; deste total, 49% afirmaram que Mourão tem razão e toda denúncia deve ser plenamente esclarecida, e 33% disseram que Mourão tem razão, mas age assim porque cobiça a presidência; 13% disseram que Heleno sabe que o caso é estranho, mas quer proteger Bolsonaro, enquanto 5% disseram que o general Heleno tem razão e Jair Bolsonaro não tem envolvimento no caso

Sondagem 247: para 82%, Mourão está certo ao cobrar explicações do bolsogate
Sondagem 247: para 82%, Mourão está certo ao cobrar explicações do bolsogate

247 - Uma nova pesquisa realizada nesta terça-feira, 11, na Comunidade do 247 no YouTube questionou a opinião dos entrevistados sobre a divergência entre os dois principais generais do governo de Jair Bolsonaro - o vice-presidente eleito Hamilton Mourão e o futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, acerca das movimentações suspeitas de R$ 1,2 milhão na conta de Fabricio Queiroz, ex-assessor do deputado Flávio Bolsonaro. 

Com mais de 4,2 mil votos até às 16h30, 82% dos participantes concordam que general Mourão tem razão em cobrar esclarecimentos acerca do bolsogate. Deste total, 49% afirmaram que Mourão tem razão e toda denúncia deve ser plenamente esclarecida, e 33% disseram que Mourão tem razão, mas age assim porque cobiça a presidência. 

Entre os 17% que concordaram com posição do general Augusto Heleno, 13% disseram que Heleno sabe que o caso é estranho, mas quer proteger Bolsonaro, enquanto 5% disseram que o general Heleno tem razão e Jair Bolsonaro não tem envolvimento no caso.

O general Hamilton Mourão afirmou em entrevista à revista de extrema-direita Crusoé que o esquema Bolsonaro-Queiroz de apropriação de salários de funcionários dos gabinetes Jair e Flávio Bolsonaro é uma "burrice ao cubo". Mourão defende a investigação do caso e a punição dos envolvidos. "Pô, porque o cara não entregava dinheiro em espécie? Quando há ilicitude, o dinheiro é entregue em espécie. A partir do momento que você coloca conta bancária, você está passando recibo, né?", afirmou Mourão à revista Crusoé (leia mais).

Heleno decretou a inocência de Bolsonaro: "O presidente tá isento disso aí porque não teve participação. O que apareceu dele é irrisório, uma quantia pequena, e ele mesmo já explicou". O "irrisório" de Heleno envolve inicialmente R$ 1,2 milhão, soma que circulou pela conta do PM Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flavio Bolsonaro, apenas em 2016, segundo o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Curiosamente, a soma é muito maior que os valores envolvidos, por exemplo, no famoso processo contra Lula conhecido como "sítio de Atibaia" (leia mais).

A pesquisa na Comunidade do 247 no YouTube teve mais de 150 comentários. Celio Teles diz que Mourão tem razão e toda denúncia deve ser plenamente esclarecida. "Se isso aqui fosse um país sério, bolsonaro nem teria tomado posse! Mas laranja é pra isso mesmo. Tomar no cu ,no lugar dos verdadeiros bandidos. Agora aguenta...", diz ele. 

Já Robert Balsamo acredita que o general Heleno sabe que o caso é estranho, mas quer proteger Bolsonaro. "Tá evidente que esses Srs generais ou não, não querem apurar nada. Essa turma assalta o país há décadas. Tá como eles gostam...e o Zé Mané que votou nesses malditos o que pensam??? Esse país o lugar dele é esse mesmo...a lama, o esgoto", afirma. 

Inscreva-se na TV 247 e participa pesquisa aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247