Stédile quer greve geral se impeachment passar

João Pedro Stédile, integrante da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, fez, nesta sexta (15), um duro discurso contra o processo de impeachment e propôs uma greve geral no país, caso ele passe pela Câmara no próximo domingo; "Se o impeachment for para o Senado, antes dele ser debatido lá, temos de fazer um dia de greve nacional nesse País para mostrar para a burguesia que quem produz a riqueza são os trabalhadores", afirmou; Stédile acredita que se Dilma não sofrer impeachment, "em maio começa o governo Lula 3"

João Pedro Stédile, integrante da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, fez, nesta sexta (15), um duro discurso contra o processo de impeachment e propôs uma greve geral no país, caso ele passe pela Câmara no próximo domingo; "Se o impeachment for para o Senado, antes dele ser debatido lá, temos de fazer um dia de greve nacional nesse País para mostrar para a burguesia que quem produz a riqueza são os trabalhadores", afirmou; Stédile acredita que se Dilma não sofrer impeachment, "em maio começa o governo Lula 3"
João Pedro Stédile, integrante da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, fez, nesta sexta (15), um duro discurso contra o processo de impeachment e propôs uma greve geral no país, caso ele passe pela Câmara no próximo domingo; "Se o impeachment for para o Senado, antes dele ser debatido lá, temos de fazer um dia de greve nacional nesse País para mostrar para a burguesia que quem produz a riqueza são os trabalhadores", afirmou; Stédile acredita que se Dilma não sofrer impeachment, "em maio começa o governo Lula 3" (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247- João Pedro Stédile, integrante da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, fez, nesta sexta-feira (15), um duro discurso contra o processo de impeachment e propôs uma greve geral no país, caso ele passe pela Câmara no próximo domingo.

"Se o impeachment for para o Senado, antes dele ser debatido lá, temos de fazer um dia de greve nacional nesse País para mostrar para a burguesia que quem produz a riqueza são os trabalhadores", afirmou.

Stédile acredita que se Dilma não sofrer impeachment, "em maio começa o governo Lula 3".

"E para isso teremos de continuar na rua. Para que o Lula, como coordenador do governador, remonte um novo ministério em diálogo com a sociedade e largue mão desses partidos conservadores", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247