STF concede liminar para ex-mulher de Cachoeira ficar calada

Andrea Aprígio de Souza conseguiu liminar no Supremo Tribunal Federal que garante a ela o direito de se calar no depoimento à CPI do Cachoeira marcado para a quarta-feira

STF concede liminar para ex-mulher de Cachoeira ficar calada
STF concede liminar para ex-mulher de Cachoeira ficar calada (Foto: Divulgação)

Agência Brasil - Com depoimento marcado para a próxima quarta-feira (8), na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, Andrea Aprígio de Souza, conseguiu hoje (6) uma liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) que garante a ela o direito de se calar.

Andrea é ex-mulher do empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, cujas atividades são objeto de investigação das operações Vegas e Monte Carlo da Polícia Federal.

O habeas corpus foi concedido pela ministra Rosa Weber. Na decisão, a ministra alegou que os requerimentos que resultaram na convocação a acusam de envolvimento nas atividades ilícitas investigadas. Dessa forma, ela não pode ser considerada somente uma testemunha, e sim, investigada.

"A paciente pode, como potencial investigada, ser ouvida, mas com o resguardo dos direitos constitucionais e legais decorrentes dessa condição", disse a ministra no documento.

Andrea é suspeita de ser "laranja" de Cachoeira. Cachoeira é acusado de comandar uma organização criminosa que teria cooptado empresários e políticos. O grupo é investigado por atividades como jogos ilegais, tráfico de influência, fraudes em licitações, entre outras ações.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247