STF discute se Gilmar deverá decidir futuro de Queiroz e Flávio na corte

Por ter relatado ação apresentada pelo senador ano passado, o ministro Gilmar Mendes pode ser responsável automático por outros processos relacionados. Isto dará maior poder ao ministro na relação com o governo

Ministro do STF Gilmar Mendes
Ministro do STF Gilmar Mendes (Foto: Carlos Moura/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) iniciaram um debate interno sobre se o ministro Gilmar Mendes seria ou não o responsável automático por qualquer recurso que venha a ser apresentado pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) ou por Fabrício Queiroz à corte.

Gilmar já foi o relator de uma ação apresentada por Flávio Bolsonaro no ano passado o que lhe dá  competência para assumir futuros casos relacionados à investigação que corre em primeira instância.

O filho de Jair Bolsonaro é investigado como líder de associação criminosa formada operar as rachadinhas no seu gabinete de deputado estadual na  Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Seu ex-assessor, Fabrício Queiroz está preso por decisão da Justiça do Rio de Janeiro. Ele é apontado como o responsável por recolher os pagamentos dos funcionários e repassar os recursos para Flávio Bolsonaro. 

Reportagem do jornalista Matheus Teixeira da Folha de S.Paulo informa que a aposta no STF é que uma eventual relatoria de Gilmar para habeas corpus ou recursos do senador ou de envolvidos no caso darão poder ao ministro e ampliarão a influência dele no governo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247