STF não pauta análise sobre prisão após 2ª instância em abril

Não entrou na pauta de julgamentos de abril, divulgada no site do STF, a análise das Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs) que tratam de prisão após condenação em segunda instância, que é o caso do ex-presidente Lula; a informação foi publicada pelo Blog do Camarotti, no G1

Não entrou na pauta de julgamentos de abril, divulgada no site do STF, a análise das Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs) que tratam de prisão após condenação em segunda instância, que é o caso do ex-presidente Lula; a informação foi publicada pelo Blog do Camarotti, no G1
Não entrou na pauta de julgamentos de abril, divulgada no site do STF, a análise das Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs) que tratam de prisão após condenação em segunda instância, que é o caso do ex-presidente Lula; a informação foi publicada pelo Blog do Camarotti, no G1 (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Não entrou na pauta de julgamentos de abril, divulgada no site do Supremo Tribunal Federal, a análise das Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs) que tratam de prisão após condenação em segunda instância. A informação foi publicada pelo Blog do Camarotti, no G1.

A situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode ficar mais complicada ainda. O petista foi condenado em segunda instância, pelo Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, no processo envolvendo o triplex no Guarujá (SP). O ex-presidente passa a contar apenas com o habeas corpus apresentado em fevereiro ao Supremo. O ministro Edson Fachin negou o pedido, mas o plenário da Corte dará a palavra final.

Se as ADCs, que não tratam de caso específico, forem pautadas, a tendência do STF seria mudar a jurisprudência firmada em 2016 que permite a execução da pena após condenação em segunda instância.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247