STF quer o bloqueio das redes sociais de investigados

O ministro do STF Alexandre de Moraes mandou bloquear as redes sociais de sete investigados no inquérito sobre as supostas fake news contra seus colegas da Corte; dentre os alvos de busca está o o general da reserva Paulo Chagas; ministro afirmou que postagens em redes sociais contêm "graves ofensas a esta Corte e seus integrantes, com conteúdo de ódio e de subversão da ordem"

STF quer o bloqueio das redes sociais de investigados
STF quer o bloqueio das redes sociais de investigados (Foto: Marcelo Camargo - ABR)

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes mandou bloquear as redes sociais de sete investigados no inquérito sobre as supostas fake news contra seus colegas da Corte. São alvo de buscas da Polícia Federal nesta terça-feira (16) o general da reserva Paulo Chagas, o membro da Polícia Civil de Goiás Omar Rocha Fagundes, além de Isabella Sanches de Sousa Trevisani, Carlos Antonio dos Santos, Erminio Aparecido Nadini, Gustavo de Carvalho e Silva e Sergio Barbosa de Barros.

De acordo com o ministro, documentos e informações coletados pela investigação apontam "sérios indícios da prática de crimes". Moraes afirmou que postagens em redes sociais contêm "graves ofensas a esta Corte e seus integrantes, com conteúdo de ódio e de subversão da ordem". Os relatos foram publicados no Blog do Fausto Macedo.

O ministro mandou bloquear contas no Facebook, no WhatsApp, no Twitter e no Instagram. "Autorizo desde logo o acesso, pela autoridade policial, aos documentos e dados armazenados em arquivos eletrônicos apreendidos nos locais de busca, contidos em quaisquer dispositivos", ordenou Alexandre. "Após a realização das diligências, todos os envolvidos deverão prestar depoimentos".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247