STF valida condução de Moro nos processos da Lava Jato

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça (16) validar a condução do juiz federal Sérgio Moro na investigação da Operação Lava Jato; seguindo voto do ministro Teori Zavascki, o colegiado entendeu que Moro, até o momento, não violou a competência do Supremo para julgar investigados com prerrogativa de foro; questão foi analisada a partir de questionamentos de investigados na operação.; eles pediram que as ações oriundas da operação fossem enviadas ao Supremo, devido à presença de parlamentares nas investigações  

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça (16) validar a condução do juiz federal Sérgio Moro na investigação da Operação Lava Jato; seguindo voto do ministro Teori Zavascki, o colegiado entendeu que Moro, até o momento, não violou a competência do Supremo para julgar investigados com prerrogativa de foro; questão foi analisada a partir de questionamentos de investigados na operação.; eles pediram que as ações oriundas da operação fossem enviadas ao Supremo, devido à presença de parlamentares nas investigações
 
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça (16) validar a condução do juiz federal Sérgio Moro na investigação da Operação Lava Jato; seguindo voto do ministro Teori Zavascki, o colegiado entendeu que Moro, até o momento, não violou a competência do Supremo para julgar investigados com prerrogativa de foro; questão foi analisada a partir de questionamentos de investigados na operação.; eles pediram que as ações oriundas da operação fossem enviadas ao Supremo, devido à presença de parlamentares nas investigações   (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

André Richter - Repórter da Agência Brasil

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (16) validar a condução do juiz federal Sérgio Moro na investigação da Operação Lava Jato. Seguindo voto do ministro Teori Zavascki, o colegiado entendeu que Moro, até o momento, não violou a competência do Supremo para julgar investigados com prerrogativa de foro.

A questão foi analisada a partir de questionamentos de investigados na operação. Eles pediram que as ações oriundas da operação fossem enviadas ao Supremo, devido à presença de parlamentares nas investigações.

Em outra decisão, proferida em junho, a Segunda Turma validou as provas da operação e determinou que oito ações penais oriundas da investigação voltassem para a Justiça Federal no Paraná.

Em despacho proferido no mês passado, Moro considerou “fantasiosa” a argumentação de advogados de que ele está ocultando nome de parlamentares nos processos para que a investigação continue na primeira instância.

De acordo com as alegações dos investigados, Moro não poderia ter prosseguido com a investigação, uma vez que foram citados nomes de parlamentares. Os advogados argumentam que os autos deveriam ser remetidos ao STF, instância adequada para investigar parlamentares, que têm foro privilegiado.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247