STJ nega liminar do PPS contra ministro da Justiça

Ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Assusete Magalhães negou liminar impetrada pelo PPS contra o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, que visava impedir possíveis alterações nos quadros da Polícia Federal por causa dos constantes vazamentos de informações ligadas às investigações da Operação Lava Jato; mandado de segurança foi protocolado pouco depois do ministro afirmar que promoveria alterações nos quadros da PF caso sentisse "cheiro de vazamento"; mérito do mandado de segurança, porém ainda será julgado pelos ministros da Corte.

Ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Assusete Magalhães negou liminar impetrada pelo PPS contra o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, que visava impedir possíveis alterações nos quadros da Polícia Federal por causa dos constantes vazamentos de informações ligadas às investigações da Operação Lava Jato; mandado de segurança foi protocolado pouco depois do ministro afirmar que promoveria alterações nos quadros da PF caso sentisse "cheiro de vazamento"; mérito do mandado de segurança, porém ainda será julgado pelos ministros da Corte.
Ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Assusete Magalhães negou liminar impetrada pelo PPS contra o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, que visava impedir possíveis alterações nos quadros da Polícia Federal por causa dos constantes vazamentos de informações ligadas às investigações da Operação Lava Jato; mandado de segurança foi protocolado pouco depois do ministro afirmar que promoveria alterações nos quadros da PF caso sentisse "cheiro de vazamento"; mérito do mandado de segurança, porém ainda será julgado pelos ministros da Corte. (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Assusete Magalhães negou liminar impetrada pelo PPS contra o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, que visava impedir possíveis alterações nos quadros da Polícia Federal por causa dos constantes vazamentos de informações ligados às investigações da Operação Lava Jato.

Ação do PPS foi impetrada pouco depois do ministro afirmar da que promoveria alterações nos quadros da PF caso sentisse "cheiro de vazamento". A ministra do STJ, porém, observou que até o momento nenhum movimento foi feito neste sentido, o que descarta a possibilidade de uma liminar sobre o caso. O mérito do mandado de segurança ainda será julgado pelos ministros da Corte.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247