Suíça vai devolver US$ 26 milhões de Costa ao Brasil

Montante é maior do que qualquer dinheiro já repatriado pelo Brasil em casos de corrupção; decisão foi acertada após reunião entre procuradores brasileiros e autoridades suíças; o dinheiro, que estava em contas do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa no país europeu, ainda não tem data para voltar; para tê-lo de volta, o Brasil precisou garantir que a verba não voltaria para as mãos do autor do desvio, nem outras empresas e pessoas, mas exclusivamente para o Estado; em depoimento à Justiça, Costa disse que pagamento de propina foi feito pela Odebrecht

Montante é maior do que qualquer dinheiro já repatriado pelo Brasil em casos de corrupção; decisão foi acertada após reunião entre procuradores brasileiros e autoridades suíças; o dinheiro, que estava em contas do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa no país europeu, ainda não tem data para voltar; para tê-lo de volta, o Brasil precisou garantir que a verba não voltaria para as mãos do autor do desvio, nem outras empresas e pessoas, mas exclusivamente para o Estado; em depoimento à Justiça, Costa disse que pagamento de propina foi feito pela Odebrecht
Montante é maior do que qualquer dinheiro já repatriado pelo Brasil em casos de corrupção; decisão foi acertada após reunião entre procuradores brasileiros e autoridades suíças; o dinheiro, que estava em contas do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa no país europeu, ainda não tem data para voltar; para tê-lo de volta, o Brasil precisou garantir que a verba não voltaria para as mãos do autor do desvio, nem outras empresas e pessoas, mas exclusivamente para o Estado; em depoimento à Justiça, Costa disse que pagamento de propina foi feito pela Odebrecht (Foto: Gisele Federicce)

247 – Os cofres públicos do Brasil terão de volta US$ 26 milhões que estavam em contas do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa na Suíça.

Em reunião realizada com procuradores brasileiros, autoridades suíças concederam autorização para o repatriamento do montante, segundo reportagem de Jamil Chade, enviado ao local.

Trata-se do maior volume de dinheiro já repatriado pelo Brasil em casos de corrupção. Somados os escândalos de contas no exterior, o Brasil já teve de volta R$ 45 milhões.

Desta vez, em apenas uma transferência, o número já é superior. Para ter a verba de volta, no entanto, os procuradores brasileiros tiveram que garantir que ela não voltaria para Costa, nem outras empresas, mas exclusivamente para o Estado.

Em depoimento à Justiça, Costa revelou que o dinheiro foi pago em propina pela construtora Odebrecht (leia mais).

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247