Supervisor vê médicos cubanos resolverem mais do que brasileiros

O médico Rodrigo Lima, supervisor do programa federal Mais Médicos, afirma que os cubanos têm formação específica em medicina da família, o que faz com que eles sejam mais capacitados do que recém-formados brasileiros para a atuação em pequenas cidades e povoados; ele também ressalta que os cubanos aceitavam as vagas em locais de menor povoamento, não desistiam dos postos, nem tentavam barganhar redução de carga horária

Supervisor vê médicos cubanos resolverem mais do que brasileiros
Supervisor vê médicos cubanos resolverem mais do que brasileiros (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O médico Rodrigo Lima, diretor de exercício profissional da SBMFC (Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade) e supervisor do programa federal Mais Médicos, afirma que os cubanos têm formação específica em medicina da família, o que faz com que eles sejam mais capacitados do que recém-formados brasileiros para a atuação em pequenas cidades e povoados, informa reportagem do UOL. 

Não é um juízo sobre quem tem a melhor formação, enfatiza. "O que falo é que esses médicos [cubanos] receberam formação específica para trabalhar em medicina da família. Isso faz com que sejam bem mais aptos do que um médico brasileiro recém-formado --que é quem costuma aceitar esses postos de trabalho mais distantes.

Ele ressalta que os cubanos, que tiveram de deixar o Mais Médicos após rompimento de seu governo com o Brasil, aceitavam as vagas em locais de menor povoamento, não desistiam dos postos, nem tentavam barganhar redução de carga horária, como ocorre com alguns profissionais brasileiros. "Acompanho vários médicos mensalmente, entre eles cubanos, e eles são qualificados, são bons.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247