TCU dá 120 dias para governo explicar como vai 'corrigir' fiscalização do desmatamento na Amazônia

Segundo relatório dos técnicos, as falas de Jair Bolsonaro e do ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles “têm prejudicado o exercício da fiscalização do Ibama e potencialmente incentivado o desmatamento na região”

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro /  Amazônia em crise
Jair Bolsonaro / Amazônia em crise (Foto: Agência Brasil)


247 - O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu nesta quarta-feira, 21, abrir prazo de 120 dias para o governo Jair Bolsonaro apresentar um plano de ação para corrigir "irregularidades" no combate ao desmatamento e às queimadas na Amazônia. 

Os problemas foram apontados por técnicos do tribunal após auditoria.

Segundo o relatório dos técnicos, as falas de Jair Bolsonaro e do ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles “têm prejudicado o exercício da fiscalização do Ibama e potencialmente incentivado o desmatamento na região”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por unanimidade, os ministros do TCU determinaram que o governo deve promover, com o Ibama, uma estratégia de comunicação social para aumentar a percepção pública de que a fiscalização é robusta e importante.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O prazo de 120 dias começa a contar a partir da notificação do Ministério do Meio Ambiente, o que ainda não ocorreu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email