Temer: agronegócio não pode ser desvalorizado por ‘uma coisa menor’

Ao comentar a Operação Carne Fraca durante evento na Amcham, peemedebista disse que "números espancam qualquer dúvida", uma vez que a imensa maioria dos frigoríficos sujeitos a inspeção não foi alvo dos problemas; "Esse assunto, se Deus quiser, vai terminar muito bem", previu

Brasília - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles durante reunião com integrantes da Comissão de Reforma da Previdência (Antonio Cruz/Agência Brasil)
Brasília - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles durante reunião com integrantes da Comissão de Reforma da Previdência (Antonio Cruz/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - O presidente Michel Temer voltou a minimizar nesta segunda-feira os problemas com a carne brasileira revelados pela operação Carne Fraca da Polícia Federal, afirmando que os "números espancam qualquer dúvida" já que a imensa maioria dos frigoríficos sujeitos a inspeção não foi alvo dos problemas.

Temer reiterou ainda, em discurso durante cerimônia de posse do conselho de administração da Amcham, que o Brasil tem um rigorosos sistema de fiscalização sanitária e que o agronegócio é importante demais para o país e não pode ser desvalorizado por "uma coisa menor", que será punida conforme necessário.

De acordo com números do governo, de 4.837 unidades frigoríficas sujeitas à inspeção federal, apenas 21 estão supostamente envolvidas em eventuais irregularidades, enquanto dos 11 mil funcionários do Ministério da Agricultura, apenas 33 estão sendo investigados.

(Reportagem de Eduardo Simões)

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247