Temer ignora crise e diz que 'Brasil começa a respirar nova economia'

Ignorando a recessão que deixou mais de 14 milhões de pessoas desempregadas e alheio as denúncias de corrupção contra si, Michel Temer Michel Temer disse que o país está deixando a recessão para trás; "Depois de uma longa recessão, nós começamos a respirar uma nova economia e novos costumes no nosso país", disse o presidente, ao dar empossar Sérgio Sá Leitão como ministro da Cultura em cerimônia no Palácio do Planalto

Presidente Michel Temer durante pronunciamento no Palácio do Planalto em Brasília 18/05/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Michel Temer durante pronunciamento no Palácio do Planalto em Brasília 18/05/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - O presidente Michel Temer aproveitou a posse do novo ministro da Cultura, nesta terça-feira, para voltar a bater na tecla de que o país está deixando a recessão para trás e passa a "respirar uma nova economia", apesar das dificuldades ainda enfrentadas.

"Depois de uma longa recessão, nós começamos a respirar uma nova economia e novos costumes no nosso país", disse o presidente, ao dar posse a Sérgio Sá Leitão em cerimônia no Palácio do Planalto.

Enfrentando uma grave crise política decorrente das delações de executivos da JBS, Temer tem buscado comemorar bons indicadores econômicos e criticado quem ele acusa de ser pessimista.

"Nós devemos retirar, naturalmente, toda e qualquer palavra de pessimismo... temos dificuldades, claro que as temos, mas isso é mais ou menos histórico no nosso país", disse, acrescentando que o otimismo é uma marca da população brasileira.

"É exata e precisamente a capacidade extraordinária de recuperação do povo brasileiro, a capacidade extraordinária de otimismo, a capacidade extraordinária de crença nas nossas instituições, e hoje a absoluta crença de que o país está se transformando."

Por Alexandre Caverni, em São Paulo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247