Temer indica acusado de recolher propinas para os Portos

Em troca de apoio político na reforma da Previdência, o governo vai indicar o ex-senador paraense Luiz Otávio Campos (PMDB), envolvido na Lava-Jato, para o cargo de secretário nacional de Portos; Campos foi alvo de mandado de busca e apreensão da "Leviatã", fase da operação Lava-Jato deflagrada em fevereiro deste ano; de acordo com o delator Flavio David Barra, ex-presidente da Andrade Gutierrez Energia, Campos seria um dos designados do PMDB para recolher a cobrança de propinas. A Polícia Federal encontrou na cada dele R$ 135 mil em espécie

Em troca de apoio político na reforma da Previdência, o governo vai indicar o ex-senador paraense Luiz Otávio Campos (PMDB), envolvido na Lava-Jato, para o cargo de secretário nacional de Portos; Campos foi alvo de mandado de busca e apreensão da "Leviatã", fase da operação Lava-Jato deflagrada em fevereiro deste ano; de acordo com o delator Flavio David Barra, ex-presidente da Andrade Gutierrez Energia, Campos seria um dos designados do PMDB para recolher a cobrança de propinas. A Polícia Federal encontrou na cada dele R$ 135 mil em espécie
Em troca de apoio político na reforma da Previdência, o governo vai indicar o ex-senador paraense Luiz Otávio Campos (PMDB), envolvido na Lava-Jato, para o cargo de secretário nacional de Portos; Campos foi alvo de mandado de busca e apreensão da "Leviatã", fase da operação Lava-Jato deflagrada em fevereiro deste ano; de acordo com o delator Flavio David Barra, ex-presidente da Andrade Gutierrez Energia, Campos seria um dos designados do PMDB para recolher a cobrança de propinas. A Polícia Federal encontrou na cada dele R$ 135 mil em espécie (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Em troca de apoio político na reforma da Previdência, o governo vai indicar o ex-senador paraense Luiz Otávio Campos (PMDB), envolvido na Lava-Jato, para o cargo de secretário nacional de Portos, vaga criada na reestruturação do organograma do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

As informações são de reportagem do Valor.

"Campos foi alvo de mandado de busca e apreensão da "Leviatã", fase da operação Lava-Jato deflagrada em fevereiro deste ano. De acordo com o delator Flavio David Barra, ex-presidente da Andrade Gutierrez Energia, Campos seria um dos designados do PMDB para recolher a cobrança de propinas. A Polícia Federal encontrou na cada dele R$ 135 mil em espécie.

Também foi alvo da 'Leviatã' o executivo Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA) e presidente da Brasilcap - empresa de capitalização cujo maior acionista é o Banco do Brasil.

Pelos relato feito por Flavio Barra, em 2014 Edison Lobão teria avisado Barra "que o intermediário do recebimento de vantagens indevidas destinadas ao PMDB não seria mais Márcio Lobão, mas sim Luiz Otávio Campos", de acordo com um dos trechos da delação.

A mudança de interlocutor teria ocorrido devido à negativa das empresas de pagarem um aditivo contratual de 5%. A questão foi resolvida, de acordo com Barra, que contou também ter apresentado Campos aos representantes das demais empresas integrantes do consórcio construtor de Belo Monte."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247