Temer se diz magoado com ataques de natureza moral

Denunciado no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção, lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça, e flagrado em conversa gravada pelo empresário da JBS, Joesley Batista, afirmando que o esquema para silenciar o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deveria ser mantido, Michel Temer disse nesta quinta-feira (20), durante encontro som servidores públicos, que a "mágoa" que ele leva ao fim do seu governo foram os "ataques de natureza moral"; "Eu tive uma vida na universidade, uma vida na profissão, uma vida pública muito exata, muito correta", disse

Temer se diz magoado com ataques de natureza moral
Temer se diz magoado com ataques de natureza moral (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Rejeitado pela população e considerado o pior presidente da história, Michel Temer disse nesta quinta-feira (20) que a "mágoa" que ele leva ao fim do seu governo foram os "ataques de natureza moral".

Temer foi denunciado no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção, lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça, e flagrado em conversa gravada pelo empresário da JBS, Joesley Batista, afirmando que o esquema para silenciar o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deveria ser mantido.

Apesar desses fatos, Temer disse durante um encontro de fim de ano com servidores no Palácio do Planalto que sempre teve uma "vida pública muito exata, muito correta" e que só pode se "orgulhar" do que fez ao longo do tempo.

"De outro lado, aqui, sim, eu levo isto como uma mágoa, foram os ataques de natureza moral. Vocês sabem que tenho mais de 50 anos. Então, quando eu digo, interessante, eu tive uma vida na universidade, uma vida na profissão, uma vida pública muito exata, muito correta", afirmou.

As declarações vêm um dia após a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, oferecer uma terceira denúncia contra ele, desta vez no inquérito dos portos, em que é acusado de ter integrado suposto esquema para favorecer empresas específicas na edição de um decreto sobre o setor portuário.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247