Temer tem maior rejeição após alta de impostos

Desde a crise acentuada pela delação da JBS, o pior cenário de rejeição a Temer foi observado pelo Planalto nas redes sociais com o anúncio de aumento no tributo dos combustíveis, feito na última quinta-feira 20; medida irritou a população e até a base no Congresso; para aliados, o que pegou mal mesmo foi a frase de Temer de que o "povo vai entender"

Desde a crise acentuada pela delação da JBS, o pior cenário de rejeição a Temer foi observado pelo Planalto nas redes sociais com o anúncio de aumento no tributo dos combustíveis, feito na última quinta-feira 20; medida irritou a população e até a base no Congresso; para aliados, o que pegou mal mesmo foi a frase de Temer de que o "povo vai entender"
Desde a crise acentuada pela delação da JBS, o pior cenário de rejeição a Temer foi observado pelo Planalto nas redes sociais com o anúncio de aumento no tributo dos combustíveis, feito na última quinta-feira 20; medida irritou a população e até a base no Congresso; para aliados, o que pegou mal mesmo foi a frase de Temer de que o "povo vai entender" (Foto: Gisele Federicce)

247 – O governo Temer tem vivenciado seu pior cenário de rejeição após o anúncio de aumento no tributo dos combustíveis, feito na última quinta-feira 20.

A análise foi feita com monitoramento do Planalto nas redes sociais, segundo nota publicada na Coluna do Estadão neste domingo 23.

Trata-se do pior momento para o peemedebista desde a crise acentuada pela delação da JBS, que divulgou gravação feita pelo empresário Joesley Batista no Palácio do Jaburu.

O aumento do imposto, com repasse imediato pelos revendedores para as bombas de gasolina, irritou a população e até a base no Congresso.
Para aliados, o que pegou mal mesmo foi a frase de Temer dizendo, na Argentina, onde participava da cúpula do Mercosul, que o "povo vai entender".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247