'Temos esperança que Lula deixe prisão antes do Natal', diz Gleisi

A senadora e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, disse na manhã desta segunda alimentar esperança de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que é mantido como preso político em Curitiba, seja libertado antes do Natal; ela advertiu que a nomeação de Sérgio Moro como ministro da Justiça num governo com o perfil de extrema-direita aponta para um "estado policial" no país

'Temos esperança que Lula deixe prisão antes do Natal', diz Gleisi
'Temos esperança que Lula deixe prisão antes do Natal', diz Gleisi
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A senadora e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, disse na manhã desta segunda-feira (10) alimentar esperança de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que é mantido como preso político em Curitiba, seja libertado antes do Natal. Ela advertiu que a nomeação de Sérgio Moro como ministro da Justiça num governo com o perfil de extrema-direita aponta para um "estado policial" no país.

"Temos muita esperança que Lula saia da prisão antes do Natal. Se isso não acontecer, estamos organizando um Natal com Lula", afirmou durante a Conferência Internacional em Defesa da Democracia, promovida pela Fundação Perseu Abramo, em São Paulo, sem dar indicações de como concretizar tal esperança. 

Gleisi voltou a dizer que Lula foi preso "sem provas" e devido ao "altíssimo grau de politização" do Judiciário. "Isso é evidenciado pela nomeação de Moro para ministro da Justiça (do futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL)). Sabemos que cargo de ministro é cargo político, não técnico", disse.

Para ela, a ida de Moro para o Ministério da Justiça sinaliza para a implantação de "um estado policial" no País. "E achamos que esse estado vai ser opressor a quem fizer oposição ao governo", completou. "Teremos um estado opressor e a população submetida a um estado muito grave de proteção social", ressaltou em seguida.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247