Tempo trará distinção entre "juiz e justiceiro"

Presidente da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, advogado Wadih Damous estabelece clivagem entre postura dos ministros Joaquim Barbosa e Luís Roberto Barroso na AP 470; "Com o passar do tempo, é inexorável que prevaleçam a serenidade e o distanciamento necessários, passados os ódios e as paixões", registrou; "Então se poderá ver todo o mal que o ministro Barbosa causou à ideia da justiça e do Poder Judiciário"

Presidente da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, advogado Wadih Damous estabelece clivagem entre postura dos ministros Joaquim Barbosa e Luís Roberto Barroso na AP 470; "Com o passar do tempo, é inexorável que prevaleçam a serenidade e o distanciamento necessários, passados os ódios e as paixões", registrou; "Então se poderá ver todo o mal que o ministro Barbosa causou à ideia da justiça e do Poder Judiciário"
Presidente da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, advogado Wadih Damous estabelece clivagem entre postura dos ministros Joaquim Barbosa e Luís Roberto Barroso na AP 470; "Com o passar do tempo, é inexorável que prevaleçam a serenidade e o distanciamento necessários, passados os ódios e as paixões", registrou; "Então se poderá ver todo o mal que o ministro Barbosa causou à ideia da justiça e do Poder Judiciário" (Foto: Marco Damiani)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil e presidente da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, advogado Wadih Damous estabeleceu uma nítida separação entre as posturas dos ministros Joaquim Barbosa e Luís Roberto Barroso durante a AP 470. Para ele, com o passar do tempo, "quem sabe a prova dos autos falará e brilhará mais forte do que luzes dos holofotes e do que a sedução da glória momentânea".

- Com o passar do tempo, é inexorável que prevaleçam a serenidade e o distanciamento necessários, passados o ódio e as paixões. Então, se poderá ver todo o mal que o Ministro Barbosa causou à idéia de justiça e ao Poder Judiciário. Saber-se-á distinguir o juiz de um justiceiro. E, quem sabe, a prova dos autos falará e brilhará mais forte do que as luzes dos holofotes e do que a sedução da glória momentânea. O ministro Luis Roberto Barroso antecipou esse novo tempo em homenagem ao processo civilizador e à democracia, disse Damous.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email