Teori rejeita pedido de liberdade a 11 da Lava Jato

Ministro Teori Zavascki, do STF, rejeitou nesta sexta (12) pedidos de liberdade feitos por executivos das empreiteiras Enegevix, Camargo Correa, Galvão Engenharia, OAS e UTC; também foi vetado o habeas corpus a Fernando Baiano; ministro negou o pedido de liberdade feito pela defesa de Ricardo Pessoa, sócio da UTC Engenharia, apontado como o coordenador do cartel de empreiteiras que atuava em licitações de obras da estatal  

Ministro Teori Zavascki, do STF, rejeitou nesta sexta (12) pedidos de liberdade feitos por executivos das empreiteiras Enegevix, Camargo Correa, Galvão Engenharia, OAS e UTC; também foi vetado o habeas corpus a Fernando Baiano; ministro negou o pedido de liberdade feito pela defesa de Ricardo Pessoa, sócio da UTC Engenharia, apontado como o coordenador do cartel de empreiteiras que atuava em licitações de obras da estatal
 
Ministro Teori Zavascki, do STF, rejeitou nesta sexta (12) pedidos de liberdade feitos por executivos das empreiteiras Enegevix, Camargo Correa, Galvão Engenharia, OAS e UTC; também foi vetado o habeas corpus a Fernando Baiano; ministro negou o pedido de liberdade feito pela defesa de Ricardo Pessoa, sócio da UTC Engenharia, apontado como o coordenador do cartel de empreiteiras que atuava em licitações de obras da estatal   (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta sexta-feira (12) pedidos de liberdade feitos por executivos das empreiteiras Enegevix, Camargo Correa, Galvão Engenharia, OAS e UTC. Também foi vetado o habeas corpus a Fernando Soares, o Fernando Baiano.

O ministro negou o pedido de liberdade feito pela defesa de Ricardo Pessoa, sócio da UTC Engenharia. Ele á apontado como o coordenador do chamado "clube", cartel de empreiteiras que atuava em licitações de obras da estatal.

Além dele, foram impedidos de deixar a carceragem da Polícia Federal em Curitiba José Aldemário Pinheiro Filho (Leo Pinheiro), presidente da OAS; Dalton Santos Avancini, diretor-presidente da Camargo Corrêa; e Gerson Almada, vice-presidente da Engevix e réu no processo aberto a partir da Lava Jato.

Zavascki negou os habeas corpus a João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa; Eduardo Hermelino Leite, diretor da Camargo; e Erton Medeiros Fonseca, diretor-presidente da Divisão de Engenharia da Galvão Engenharia.

A decisão do ministro mantém presos ainda três acusados da OAS: o diretor Agenor Franklin Magalhães Medeiros, além dos funcionários José Ricardo Breghirolli e Mateus Coutinho de Sá.

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247