Thomaz Bastos vê “vitória da tese do caixa dois”

Voto de Lewandowski quebra o pensamento único e abre caminho para absolvição de outros réus, diz ex-ministro da Justiça

247 – O ex-ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, nega que tenha sido o autor da tese de que o mensalão foi caixa dois – “lenda urbana”, segundo ele – mas comemorou muito o voto de Ricardo Lewandowski. E disse que o voto, além de quebrar o pensamento único, uma vez que o relator encampou as teses da procuradoria-geral da República, abre caminho para a absolvição de outros réus.

“Deixamos de lado o pensamento único, que é o da acusação e que foi encampado pelo relator (ministro Joaquim Barbosa), e passamos para outro tipo de pensamento. Agora há divergência, discussão, o julgamento e a opinião pública só tem a ganhar com isso”, afirmou o ex-ministro da Justiça, que defende José Roberto Salgado, vice-presidente do Banco Rural e disse acreditar na "inocência plena" de seu cliente.

Bastos voltou a dizer que o mensalão, como esquema de compra parlamentar, não existiu, e comentou seus diálogos com o ex-presidente Lula. “Ele me telefona para perguntar como está, como será o cronograma, quem agora irá votar”, afirmou.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247