Tiburi: Brasil tem imbecilizadores profissionais

A filósofa Márcia Tiburi alerta para o surgimento de uma nova categoria profissional no Brasil: os imbecilizadores profissionais; de acordo com a filósofa, essas pessoas tem o objetivo de extirpar o senso crítico das pessoas; desse modo, elas perdem a capacidade de pensar por si mesmas e saem repetindo ideias prontas, por puro entorpecimento intelectual

A filósofa Márcia Tiburi alerta para o surgimento de uma nova categoria profissional no Brasil: os imbecilizadores profissionais; de acordo com a filósofa, essas pessoas tem o objetivo de extirpar o senso crítico das pessoas; desse modo, elas perdem a capacidade de pensar por si mesmas e saem repetindo ideias prontas, por puro entorpecimento intelectual
A filósofa Márcia Tiburi alerta para o surgimento de uma nova categoria profissional no Brasil: os imbecilizadores profissionais; de acordo com a filósofa, essas pessoas tem o objetivo de extirpar o senso crítico das pessoas; desse modo, elas perdem a capacidade de pensar por si mesmas e saem repetindo ideias prontas, por puro entorpecimento intelectual (Foto: Charles Nisz)

247 - Para a filósofa Márcia Tiburi, o Brasil tem uma nova classe profissional. São os imbecilizadores profissionais, na definição de Márcia. "São pessoas que não produzem nada, não criam nada, no sentido de ensinar ou ajudar as pessoas", explica ela. De acordo com Márcia, essas pessoas são especialistas em manipulação de massas.

No entanto, sublinha Márcia, não são manipuladores em um sentido sofisticado do termo. Ao contrário, é um manipulador no sentido mais simples do termo. "Ele diz coisas fáceis de entender, basta ele achar que essa massa diante dele é imbecil. Assim, ele cria identificação entre essas pessoas e ele - o objetivo é extirpar o senso crítico de um grupo de pessoas ", explica a filósofa.  

Assim, segundo Márcia, "ao perder o senso crítico, as pessoas param de prestar atenção no que as outras pessoas estão dizendo e também naquilo que ela mesma está pensando. Portanto, elas saem repetindo ideias prontas, por não serem mais capazes de pensar por conta de um processo de entorpecimento cognitivo".

O risco, segundo ela, é quando esses imbecilizadores profissionais deixam o campo do entretenimento e seguem para a política. "O primeiro passo que essas pessoas tomam é entrar na política e dizer que não são políticos". Para ela, isso é uma forma de cinismo e que toma a massa por imbecil. Confira no vídeo abaixo:  

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247