TIM reconhece que presta mau serviço no País

O presidente executivo da Telecom Italia, empresa que controla a TIM, Marco Patuano, reconheceu nesta quarta (28) que os serviços de telefonia prestados pela empresa no Brasil ainda não estão com o nível de qualidade ideal; “A situação está melhorando, porém o patamar que chegamos não é o ideal que o cliente tem que receber. Em particular nos dados, o país é jovem, gosta da experiência multimídia. Não estamos no nível que deveríamos estar como indústria, mas estamos trabalhando muito forte”, disse, ao sair de reunião com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo  

O presidente executivo da Telecom Italia, empresa que controla a TIM, Marco Patuano, reconheceu nesta quarta (28) que os serviços de telefonia prestados pela empresa no Brasil ainda não estão com o nível de qualidade ideal; “A situação está melhorando, porém o patamar que chegamos não é o ideal que o cliente tem que receber. Em particular nos dados, o país é jovem, gosta da experiência multimídia. Não estamos no nível que deveríamos estar como indústria, mas estamos trabalhando muito forte”, disse, ao sair de reunião com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo
 
O presidente executivo da Telecom Italia, empresa que controla a TIM, Marco Patuano, reconheceu nesta quarta (28) que os serviços de telefonia prestados pela empresa no Brasil ainda não estão com o nível de qualidade ideal; “A situação está melhorando, porém o patamar que chegamos não é o ideal que o cliente tem que receber. Em particular nos dados, o país é jovem, gosta da experiência multimídia. Não estamos no nível que deveríamos estar como indústria, mas estamos trabalhando muito forte”, disse, ao sair de reunião com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo   (Foto: Valter Lima)

Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil

O presidente executivo da Telecom Italia, empresa que controla a TIM, Marco Patuano, reconheceu hoje (28) que os serviços de telefonia prestados pela empresa no Brasil ainda não estão com o nível de qualidade ideal.

“A situação está melhorando, porém o patamar que chegamos não é o ideal que o cliente tem que receber. Em particular nos dados, o país é jovem, gosta da experiência multimídia. Não estamos no nível que deveríamos estar como indústria, mas estamos trabalhando muito forte”, disse, ao sair de reunião com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

Na reunião com o ministro, Patuano confirmou o interesse da empresa em participar do leilão da faixa de 700 mega-hertz (MHz), programado para agosto, que servirá para ampliar a oferta da tecnologia 4G no país. “Na Europa, o 4G já é uma realidade muito importante, então é importante ter a possibilidade de fazer essa cobertura no Brasil."

O executivo também apresentou ao ministro um projeto de antena de celular desenvolvido no Brasil que será levado para a Europa. Chamado de Biosite, a antena tem a forma de um poste de luz, desenvolvido para acomodar equipamentos para transmissão de sinais para as tecnologias 3G e 4G.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247