Toffoli desconversa sobre a Vaza Jato: STF tem 'couro' para aguentar pressão

Em posicionamento contra o Estado Democrático de Direito, o presidente do STF, Dias Toffoli, esquivou-se da pergunta sobre a evetnual soltura de Lula; "Todos aqui têm couro suficiente para aguentar qualquer tipo de crítica e de pressão"

Toffoli quer reduzir tamanho da Constituição
Toffoli quer reduzir tamanho da Constituição (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)

247 - Com as duras críticas ao Poder Judiciário por causa do conluio entre o ex-juiz Sérgio Moro e o MPF-PR na Operação Lava Jato, ferindo a equidistância entre magistrado e a parte acusatória,  o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, afirmou nesta segunda-feira (1º) que os integrantes do tribunal têm "couro suficiente" para aguentar pressões. O STF segue com alinhamento pela continuidade da prisão do ex-presidente Lula, mesmo após a revelação pelo site Intercept Brasil de que, em troca de mensagem com o então juiz Sérgio Moro, o procurador Deltan Dallagnol duvidou da existência de provas contra o ex-presidente Lula.

O ministro não quis comentar sobre as mensagens trocadas entre Moro e procuradores da Lava Jato que têm sido divulgadas pelo site The Intercept Brasil desde o dia 9 de junho. Questionado sobre a situação da maior liderança popular do País, o ministro respondeu: "Quem vem para o STF, quem se torna ministro do STF, está absolutamente... Todos aqui têm couro suficiente para aguentar qualquer tipo de crítica e de pressão"

"Já houve dois julgamentos de habeas corpus do ex-presidente Lula, um que ocorreu em abril de 2018 e outro agora em junho, na Segunda Turma. Os casos que vierem vão ser julgados, a maioria decide. Se vai ser solto ou não vai ser solto não é uma questão que está colocada na pauta do STF. É uma questão que vai ser decidida no caso concreto", afirmou.




Ao vivo na TV 247 Youtube 247