Trench, Rossi, Watanabe na corda bamba

Um dos três maiores escritórios de advocacia do mundo na área de leniência, o Trench, Rossi, Watanabe vive uma crise sem precedentes, por ter contratado o ex-procurador Marcelo Miller. De um lado, nota publicada pela coluna Radar aponta que a Natura está indignada por ter tido emails confidenciais vazados nas investigações decorrentes do caso Miller. De outro, a J&F, dos irmãos Batista, foi abandonada pelo escritório

alta resolucao BELO HORIZONTE MG 14/09/2016 POLITICA - PGR MARCELLO MILLER Procurador Marcelo Paranhos de Oliveira Miller participa do Painel I - caso Lava Jato e as mudanças de paradigma na investigação criminal no Brasil Fotos: Alex Lanza / MPMG
alta resolucao BELO HORIZONTE MG 14/09/2016 POLITICA - PGR MARCELLO MILLER Procurador Marcelo Paranhos de Oliveira Miller participa do Painel I - caso Lava Jato e as mudanças de paradigma na investigação criminal no Brasil Fotos: Alex Lanza / MPMG (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Um dos três maiores escritórios de advocacia do mundo na área de leniência, o Trench, Rossi, Watanabe vive uma crise sem precedentes, por ter contratado o ex-procurador Marcelo Miller. De um lado, nota publicada pela coluna Radar aponta que a Natura está indignada por ter tido emails confidenciais vazados nas investigações decorrentes do caso Miller. De outro, a J&F, dos irmãos Batista, foi abandonada pelo escritório.

Sobre este caso, há um aspecto pouco explorado na história da relação do TRW/Baker com a J&F. Qual foi exatamente o papel do escritório de advocacia para o seu cliente? A questão ainda não foi debatida ou abordada. Muito se fala sobre a participação do ex-procurador Marcello Miller. Seus e-mails e seu comportamento estão no noticiário. Em relação ao TRW/Baker, no entanto, o silêncio é total. "Mal comparando, é como se um problema estrutural num prédio fosse apenas culpa do engenheiro ou do mestre-de-obras. E a construtora, não tem nenhuma responsabilidade?", aponta um especialista da área jurídica.

Segundo esse mesmo especialista, o TRW/Baker foi contratado com a finalidade de trabalhar no acordo de leniência da J&F. Não é um escritório qualquer – é um dos três maiores do mundo nessa área. Pois foi esse escritório, que tinha Esther Flesch como sócia, que contratou Miller. Os dois foram dispensados e dá-se a entender que, dessa maneira, todos os problemas do TRW/Baker estariam resolvidos. Não é bem assim. "O TRW/Baker deve, sim, muitas explicações às autoridades e a seu cliente", avalia.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247