TSE manda operadoras informarem números dos responsáveis por disparo de fake news pró-Bolsonaro

O TSE deu prazo de três dias para as operadores de telefonia informarem quais as linhas dos responsáveis e sócios das empresas citadas no processo acusadas de dispararem fake news em massa para favorecer a campanha de Jair Bolsonaro em 2018

(Foto: Reuters)

247 - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que empresas telefônicas informem o número dos suspeitos de enviarem mensagens em massa com fake news para favorecer a campanha de Jair Bolsonaro em 2018.

A decisão é do ministro Jorge Mussi no processo aberto pelo PDT e pelo Avante que pede a cassação da chapa de Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

De acordo com a determinação do ministro, as operadoras Vivo, Claro, Tim, Oi, Nextel, Algar e Secomtel deverão informar, no prazo de três dias, quais as linhas telefônicas dos responsáveis e sócios das empresas citadas no processo: as empresas Quick Mobile Desenvolvimento e Serviços Ltda, Yacows Desenvolvimento de Software Ltda, Croc Services Soluções de Informática Ltda e SMSmarket Soluções Inteligentes Ltds foram nomeadas pelo ministro.

O processo foi aberto após denúncia feita em matérias da Folha de S. Paulo que mostram que empresas teriam comprado pacotes de disparos de mensagens com fake news contra a campanha de Fernando Haddad (PT) durante a eleição.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247