Uso forçado de cloroquina provoca debandada na Saúde

Responsável pela incorporação de medicamentos ao SUS, Antônio Carlos Campos de Carvalho pediu demissão nesta sexta-feira (22) por não concordar com nova orientação do governo de Jair Bolsonaro sobre o uso indiscriminado do medicamento cloroquina no combate ao coronavírus

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Reuters | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo de Jair Bolsonaro segue provocando uma debandada no ministério da Saúde pela imposição ao uso do medicamento cloroquina no combate ao Covid-19. Nesta sexta-feira (22), o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do ministério, Antônio Carlos Campos de Carvalho, pediu demissão por não concordar com a orientação do governo. 

Carvalho era o responsável pela incorporação de medicamentos ao SUS. 

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (20) o protocolo que libera no SUS o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina até para casos leves de Covid-19. 

Estudos internacionais não comprovam eficácia do remédio e especialistas alertam para os graves efeitos colaterais que a cloroquina causa, como, por exemplo, problemas cardíacos. 

Veja: 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247