Vélez diz que foi infeliz em declaração sobre 'brasileiro canibal'

Ministro da Educação tenta se defender sobre a declaração dita em uma entrevista, de que "o brasileiro viajando é um canibal"; ele afirmou que "utilizou de uma figura de linguagem para, em dado contexto, potencializar a importância da mensagem" que queria repassar

Vélez diz que foi infeliz em declaração sobre 'brasileiro canibal'
Vélez diz que foi infeliz em declaração sobre 'brasileiro canibal' (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

247 - O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, disse ter sido infeliz na declaração que fez em entrevista à Revista Veja de que o "brasileiro é canibal" quando viaja. Ele também disse que o brasileiro "rouba coisas dos hotéis, rouba o assento salva-vidas do avião; ele acha que sai de casa e pode carregar tudo. Esse é o tipo de coisa que tem de ser revertido na escola".

A defesa foi feita ao Supremo Tribunal Federal, depois que a ministra Rosa Weber estipulou um prazo para que ele o fizesse, se assim quisesse, após o advogado Marcos Aldenir Ferreira Rivas acionar a Suprema Corte, sob a alegação de que o grau de "vilania" de Vélez atribuiu ao brasileiro a "condição antropológica de canibal, dando-lhe o sentido mais pejorativo possível".

O ministro afirmou que "utilizou de uma figura de linguagem para, em dado contexto, potencializar a importância da mensagem" que queria repassar. Vélez também disse que não teve o propósito de ofender a honra de brasileiros.

"Fui infeliz na declaração aberta, genérica, mas tal não pode ser lida como a prática dos crimes de calúnia, difamação e injúria, na medida em que, repita-se, não teve o propósito de ofender as honras objetiva e subjetiva de brasileiros determinados", afirmou ainda.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247