Viana: sem provas, destruíram a vida do reitor

Para o senador Jorge Viana (PT-AC), o suicídio do ex-reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Luiz Carlos Cancellier de Olivo, é resultado dos atuais tempos de uma sociedade embrutecida; de acordo com Viana, Cancellier foi vítima de uma "ação espetaculosa" da Justiça e da Polícia Federal em nome de um falso moralismo do combate à corrupção; o reitor estava afastado de suas funções e era investigado pelo suposto desvio de verbas destinadas a bolsas de estudo

jorge viana
jorge viana (Foto: Charles Nisz)

Agência Senado - O suicídio do ex-reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Luiz Carlos Cancellier de Olivo, é resultado dos atuais tempos de uma sociedade embrutecida, disse nesta terça-feira (3) o senador Jorge Viana (PT-AC). Para ele, Cancellier foi vítima de uma "ação espetaculosa" da Justiça e da Polícia Federal em nome de um falso moralismo do combate à corrupção. O reitor estava afastado de suas funções e era investigado pelo suposto desvio de verbas destinadas a bolsas de estudo.

— Foram lá e destruíram a vida dele e de outros colegas. Sem provas. Primeiro destruíram na imprensa. Nos veículos de comunicação. Primeiro destruíram a vida, porque a acusação é de 2006. Ele começou a trabalhar em 2016 e aí levaram o reitor e outros. Deixaram todos nus. Puseram numa cela misturada com bandidos — afirmou Jorge Viana, que também endereçou críticas à imprensa e ao Ministério Público.

Las Vegas

Jorge Viana prestou solidariedade ao povo americano em razão do massacre em Las Vegas, no estado de Nevada, nos Estados Unidos. O senador criticou a liberalidade para o porte de armas naquele país. E manifestou preocupação com as tentativas, no Brasil, de modificar ou revogar o Estatuto do Desarmamento, com o objetivo de permitir mais armas na sociedade. O senador informou que em apenas uma comissão do Senado há cinco propostas com esse objetivo.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247