Violência na fronteira com a Venezuela pode ter componente eleitoral

A violência em Roraima entre brasileiros e venezuelanos pode ter um componente eleitoral, informam as jornalistas Renata Mariz e Catarina Alencastro, do jornal O Globo; segundo a reportagem, o integrantes do governo acreditam que a governadora de Roraima, Suely Campos (PP) teme perder as eleições  e, por isso, tem incitado a população a hostilizar os venezuelanos; segundo o exército, 1200 venezuelanos deixaram o município de Paracaima depois de cerca de 700 venezuelanos serem atacados por brasileiros

Violência na fronteira com a Venezuela pode ter componente eleitoral
Violência na fronteira com a Venezuela pode ter componente eleitoral (Foto: GERALDO MAIA/Agência Brasil)

247- A violência em Roraima entre brasileiros e venezuelanos pode ter um componente eleitoral, informam as jornalistas Renata Mariz e Catarina Alencastro, do jornal O Globo. Segundo a reportagem, o integrantes do governo acreditam que a governadora de Roraima, Suely Campos (PP) teme perder as eleições  e, por isso, tem incitado a população a hostilizar os venezuelanos. Segundo o exército, 1200 venezuelanos deixaram o município de Paracaima depois de cerca de 700 venezuelanos serem atacados por brasileiros.

A reportagem do jornal O Globo relata que "a governadora Suely Campos disse, por meio do seu secretário de Relações Institucionais, Marcelo Lopes, que o governo federal vem falhado nas ações para conter o problema dos venezuelanos em Roraima. E que jamais tratou o problema de forma política ou eleitoral. Segundo a assessoria de Suely, seu governo já gastou quase R$ 200 milhões com ações para atender os venezuelanos, e vem pedindo — inclusive por meio de ação ao Supremo Tribunal Federal — o ressarcimento desses investimentos."

 


Ao vivo na TV 247 Youtube 247