Vítima de Abdelmassih vai recorrer de decisão de soltura

A estilista Vanuzia Leite Lopes, vítima e autora do livro "Bem-vindo ao Inferno - A História de Vana Lopes, a Vítima que Caçou o Médico Estuprador Roger Abdelmassih", anunciou que pretende recorrer, em nome das vítimas, à decisão proferida nesta quarta-feira 21 pela Justiça de Taubaté favorável à prisão domiciliar do médico que foi condenado a 181 anos de prisão por 37 estupros de pacientes; "Tem alguma coisa errada", diz ela; assista

A estilista Vanuzia Leite Lopes, vítima e autora do livro "Bem-vindo ao Inferno - A História de Vana Lopes, a Vítima que Caçou o Médico Estuprador Roger Abdelmassih", anunciou que pretende recorrer, em nome das vítimas, à decisão proferida nesta quarta-feira 21 pela Justiça de Taubaté favorável à prisão domiciliar do médico que foi condenado a 181 anos de prisão por 37 estupros de pacientes; "Tem alguma coisa errada", diz ela; assista
A estilista Vanuzia Leite Lopes, vítima e autora do livro "Bem-vindo ao Inferno - A História de Vana Lopes, a Vítima que Caçou o Médico Estuprador Roger Abdelmassih", anunciou que pretende recorrer, em nome das vítimas, à decisão proferida nesta quarta-feira 21 pela Justiça de Taubaté favorável à prisão domiciliar do médico que foi condenado a 181 anos de prisão por 37 estupros de pacientes; "Tem alguma coisa errada", diz ela; assista (Foto: Gisele Federicce)

247 - A estilista Vanuzia Leite Lopes anunciou na manhã desta quinta-feira 22, em um vídeo postado no Facebook, que pretende recorrer à decisão proferida nesta quarta-feira 21 pela Justiça de Taubaté que liberou o médico Roger Abdelmassih para cumprir prisão domiciliar.

Ele foi condenado a 181 anos de prisão por estuprar 37 pacientes suas. Vanuzia é uma das vítimas e autora do livro "Bem-vindo ao Inferno - A História de Vana Lopes, a Vítima que Caçou o Médico Estuprador Roger Abdelmassih". Ela disse que pretende recorrer ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

"Ele ficou um mês em um hospital alegando pneumonia esperando a sentença. Meus informantes na cadeia já diziam que ele saiu de lá dizendo que não iria voltar. Que ele já sabia que não ia voltar. Porque eu tenho informantes lá dentro. Então tem alguma coisa errada nessa sentença. Alguma coisa estranha", disse no vídeo.

"O maior estuprador do país receber um benefício desse, receber uma prisão domiciliar, sendo que ainda tem que responder um processo por violência ao pudor. Como é que essa juíza solta esse homem desse jeito? Tem alguma coisa errada", questiona ainda.

"O que é que vocês acham? Vocês acham que a gente tem que reagir?", pergunta ela às outras vítimas. Assista acima.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247