Wadih: Deltan cometeu falta funcional grave e Carvalhosa tem que ser processado pela OAB

"Volto a perguntar: por que Dallagnol e seus colegas procuradores ainda não foram presos?", indaga o ex-deputado; ele também diz que o advogado Modesto Carvalhosa cometeu "infração disciplinar" ao pedir a uma procuradora da Lava Jato para redigir um pedido de impeachment de Gilmar Mendes

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-deputado federal Wadih Damous, que também é advogado e já presidiu a OAB do Rio de Janeiro, aponta que o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, cometeu "falta funcional grave" ao apoiar que uma procuradora da Lava Jato redigisse uma minuta para pedir impeachment do ministro do STF Gilmar Mendes.

As revelações foram feitas em novo capítulo da Vaza Jato nesta segunda-feira 16 pelo jornalista Reinaldo Azevedo no programa O É da Coisa, na BandNews FM. O pedido para a redação da minuta partiu do advogado do setor privado Modesto Carvalhosa à procuradora Thaméa Danelon, da Lava Jato de São Paulo, que aceitou e recebeu forte apoio de Dallagnol.

Wadih Damous também critica a postura de Carvalhosa em postagem no Twitter, lembrando que o art. 34, inc. V, da Lei 8906/94 diz que “constitui infração disciplinar assinar qualquer escrito destinado a processo judicial ou para fim extrajudicial que não tenha feito, ou em que não tenha colaborado.”

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247