Weintraub demite militar e reforça entrada de 'olavistas' no MEC

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, demitiu o tenente brigadeiro Ricardo Machado Vieira, que ocupava o cargo de secretário executivo do MEC, o segundo maior posto na hierarquia da pasta; Vieira havia sido nomeado pelo ex-ministro Ricardo Vélez Rodrigues no dia 29 de março com o objetivo de ajudar a pôr um fim à crise no ministério ocasionada pela disputa interna entre os seguidores do astrólogo Olavo de Carvalho, guru do presidente Jair Bolsonaro, e os militares, que defendem uma ação mais técnica

Weintraub demite militar e reforça entrada de 'olavistas' no MEC
Weintraub demite militar e reforça entrada de 'olavistas' no MEC (Foto: Carolina Antunes/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Educação, Abraham Weintraub, demitiu o tenente brigadeiro Ricardo Machado Vieira, que ocupava o cargo de secretário executivo do MEC, o segundo maior posto na hierarquia da pasta. Vieira havia sido nomeado pelo ex-ministro Ricardo Vélez Rodrigues no dia 29 de março. O objetivo de sua chegada ao MEC era ajudar a pôr um fim à crise no ministério ocasionada pela disputa interna entre os seguidores do astrólogo Olavo de Carvalho, guru do presidente Jair Bolsonaro, e os militares, que defendem uma ação mais técnica.

Em uma de suas principais tentativas para reduzir a influência ideológica dos "olavistas" na pasta, Vieira tentou alterar um decreto do MEC sobre alfabetização, que previa a preferência por apenas um método de ensino: o fônico. O decreto havia sido duramente criticado por educadores de todo o país. O secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim, que é ligado a Olavo de Carvalho, porém, alterou voltou a alterar o decreto.

A saída de Vieira do MEC reforça a tese de que os "olavistas", que haviam perdido espaço com Vélez, estão retornando gradativamente a cargos importantes no ministério. (Leia no Brasil 247)

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email