Youssef envolve donos da Camargo em esquema

Em delação premiada, doleiro Alberto Youssef citou dois acionistas da Camargo Corrêa no esquema de pagamento de propina em troca de contratos com a Petrobras: Carlos Pires e Luiz Nascimento; ele também disse que negociou com Dalton Avancini, presidente da empreiteira, e Eduardo Leite, vice, que estão presos em Curitiba

Em delação premiada, doleiro Alberto Youssef citou dois acionistas da Camargo Corrêa no esquema de pagamento de propina em troca de contratos com a Petrobras: Carlos Pires e Luiz Nascimento; ele também disse que negociou com Dalton Avancini, presidente da empreiteira, e Eduardo Leite, vice, que estão presos em Curitiba
Em delação premiada, doleiro Alberto Youssef citou dois acionistas da Camargo Corrêa no esquema de pagamento de propina em troca de contratos com a Petrobras: Carlos Pires e Luiz Nascimento; ele também disse que negociou com Dalton Avancini, presidente da empreiteira, e Eduardo Leite, vice, que estão presos em Curitiba (Foto: Roberta Namour)

247 – Em depoimento ao Ministério Público, o doleiro Alberto Youssef envolveu dois acionistas da Camargo Corrêa no esquema de pagamento de propina em troca de contratos com a Petrobras.

Segundo ele, os acionistas Carlos Pires e Luiz Nascimento "tinham conhecimento integral do assunto, sendo previamente consultados acerca das comissões".

Em outro trecho da delação premiada, ele disse que negociou propina com cúpula da empreiteira: João Auler, presidente do conselho, Dalton Avancini, presidente da empreiteira, e Eduardo Leite, vice. Os dois últimos estão presos em Curitiba e aceitaram acordo de delação.

A transação envolveu a aquisição de tubos da Sanko Sider, empresa acusada de repassar R$ 33 milhões ao doleiro simulando a prestação de serviços.

Yousse também diz que a Camargo Corrêa lhe devia R$ 15 milhões, pagos por contratos da Repar, refinaria no Paraná.

Leia mais na reportagem de Mario Cesar Carvalho sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247