Zanin: Lava Jato estabeleceu período para ser investigado

O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, publicou em seu Twitter um depoimento do ex-gerente de Serviços da Petrobrás Pedro Barusco admitindo que recebia vantagens indevidas desde 1996, mas a planilha dele alvo de investigação trazia dados a partir de 2003, quando o ex-presidente assumiu o primeiro ano de governo; "Nesse vídeo é possível verificar, exemplificativamente, a delimitação temporal que foi artificialmente estabelecida na 'Operação Lava Jato', que ficou ainda mais clara diante das novas revelações do Intercept Brasil", escreveu o advogado na rede social; assista ao vídeo

(Foto: Divulgação (TRF4))

247 - O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, publicou em seu Twitter um depoimento do ex-gerente de Serviços da Petrobrás Pedro Barusco admitindo que recebia vantagens indevidas desde 1996, mas a planilha dele alvo de investigação trazia dados a partir de 2003, quando Lula assumiu o primeiro ano de governo.

"Nesse vídeo é possível verificar, exemplificativamente, a delimitação temporal que foi artificialmente estabelecida na 'Operação Lava Jato', que ficou ainda mais clara diante das novas revelações do Intercept Brasil", escreveu o advogado na rede social.

No vídeop Barusco, afirma: "quando sai da Petrobrás, temrinei um período de oito anos como gerente na área de Engenharia e pedi para fazer uma gravação. Eles fizeram um backup porque eu tinha muitos documentos. Pedi para fazer cópias. Os atos de gestão começavam em 2003, quando eu assumi a engenharia. Baseei minha planilha de 2003 até 2011. No período anterior a 2003 esses assuntos foram tratados em num outro acordo que eu fiz no Rio de Janeiro, referentes à empresa holandesa SBM".

Assista ao vídeo publicado no DCM:

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247