Zanin: Moro omite material que prova relação de colaboração dos EUA com a Lava Jato

À TV 247, advogado de Lula, Cristiano Zanin revela que as provas da parceria ilícita entre o departamento de Justiça estadunidense e a Lava Jato, que interferiram diretamente na condenação de Lula, encontram-se hoje no Ministério da Justiça e Sergio Moro não concede acesso aos documentos. Assista

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O advogado Cristiano Zanin, que atua na defesa do ex-presidente Lula, revelou em entrevista à TV 247 que as provas da parceria entre o departamento de Justiça estadunidense e a Lava Jato, que interferiram diretamente na condenação de Lula, encontra-se hoje no Ministério da Justiça e a pasta não concede acesso aos documentos estratégicos que comprovam a ligação ilícita entre os países. 

O advogado explica que pediu recentemente ao Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), órgão do ministério da Justiça, todo material de cooperação entre Lava Jato e os EUA, principalmente no que diz respeito à operação, mas o acesso foi negado. 

Zanin relata que um recurso foi apresentado ao Ministério da Justiça para obter acesso aos documentos “mas,  por uma ironia do destino, o titular da pasta é Sergio Moro”. 

Ele relembra que muitas pessoas achavam a relação entre membros Lava Jato com o Departamento de Justiça dos EUA uma “teoria da conspiração” até o dia em que um procurador estadunidense assumiu publicamente tal relação. “No vídeo, o procurador assume que ajudou informalmente a Lava Jato e ajudou a construir o caso do ex-presidente Lula”. 

Inscreva-se na TV 247 e confira: 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247