Zanin: MPF tenta corrigir ilegalidade do TRF

Para o advogado Cristiano Zanin Martins, a manifestação do Ministério Público Federal, que pediu a prisão de Lula após o esgotamento dos recursos no TRF4, "não conseguiu rebater as inúmeras omissões e contradições demonstradas" no embargo de declaração apresentado pela defesa; "O MPF tenta ainda corrigir extemporaneamente o fato de o TRF4 haver determinado de ofício - sem pedido dos procuradores - a antecipação do cumprimento da pena, o que é ilegal", diz ainda

23/11/2016- Curitiba- PR,Brasil- Saida dos advogados de defesa do ex-presidente Lula, na segunda audiencia Tribunal de Justiça em Curitiba. Cristiano Zanin Martins, Foto: Filipe Araújo
23/11/2016- Curitiba- PR,Brasil- Saida dos advogados de defesa do ex-presidente Lula, na segunda audiencia Tribunal de Justiça em Curitiba. Cristiano Zanin Martins, Foto: Filipe Araújo (Foto: Gisele Federicce)

247 - O advogado Cristiano Zanin Martins comentou em nota a manifestação do Ministério Público Federal sobre os embargos de declaração apresentados pela defesa do ex-presidente Lula ao TRF4. O órgão pediu a prisão de Lula após o esgotamento dos recursos no tribunal de Porto Alegre.

Leia a íntegra:

"A manifestação do Ministério Público Federal perante o Tribunal Regional Federal da 4ª. Região a respeito dos embargos de declaração da defesa do ex-presidente Lula não conseguiu rebater as inúmeras omissões e contradições demonstradas no recurso, que devem ser corrigidas, com a consequente absolvição de Lula ou a declaração da nulidade de todo o processo. O MPF tenta ainda corrigir extemporaneamente o fato de o TRF4 haver determinado de ofício - sem pedido dos procuradores - a antecipação do cumprimento da pena, o que é ilegal. Quando o juiz Sérgio Moro permitiu que o ex-presidente pudesse recorrer em liberdade não houve recurso do MPF".

CRISTIANO ZANIN MARTINS
Advogado de defesa do ex-presidente Lula

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247