Após veto da Índia para exportação da vacina Oxford/AstraZeneca, Itamaraty tenta acordo

O governo da Índia disse que só permitirá a exportação do imunizante quando a população mais vulnerável da região estiver vacinada. A Fiocruz tenta adquirir 2 milhões de doses

Itamaraty
Itamaraty (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Diante da posição do governo da Índia de barrar a exportação de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, produzida no país pelo Instituto Serum, a Fiocruz afirmou nesta segunda-feira (4) que o Ministério das Relações Exteriores do Brasil está trabalhando para garantir a importação do imunizante.

O Instituto Serum, na figura de seu CEO, Adar Poonawalla, disse que as exportações serão barradas até que a população mais vulnerável da Índia seja imunizada. "O governo indiano só quer garantir que as pessoas mais vulneráveis ​​do país recebam primeiro – eu endosso e apoio totalmente essa decisão".

A Fiocruz pretende conseguir 2 milhões de doses prontas da vacina AstraZeneca vindas da Índia. Desta forma, a vacinação poderia começar já em janeiro. No Brasil a produção deve dar os primeiros resultados apenas em fevereiro.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email