Brasil atinge recorde de 16,6 mil enfermeiros infectados e 150 mortes; Ministério da Saúde recebe alerta

Integrantes de um grupo de infectologistas da USP, Unifesp e Fiocruz, alertam a pasta ministerial de que “o impacto da pandemia nos profissionais” pode tornar os serviços de saúde em “epicentros de surtos locais”

(Foto: Amazônia Real)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O número de casos de profissionais de enfermagem infectados com o novo coronavírus que atuam na linha de frente chegou a 16.660, com 150 mortes, na segunda-feira (25), atingindo um recorde mundial. O grupo de especialistas que presta assessoria ao Ministério da Saúde em meio à pandemia encaminhou à pasta um alerta. A informação é da coluna do jornal Folha de S. Paulo. 

Os membros do grupo, que são infectologistas da USP, Unifesp e Fiocruz, entre outras, dizem que, “apesar do recente distanciamento do Ministério da Saúde das recomendações do grupo de especialistas”, pretendem alertar de que “o impacto da pandemia nos profissionais” pode tornar os serviços de saúde em “epicentros de surtos locais”, acrescenta a matéria. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247