Brasil toma medidas 'insuficientes' contra coronavírus, diz força-tarefa internacional de cientistas

É o que aponta estudo inédito assinado por quase 80 cientistas de instituições brasileiras e do Reino Unido com base em dados colhidos entre março e abril em 85 municípios brasileiros

Pessoas com máscaras de proteção contra o coronavírus em região comercial de São Paulo (SP).
Pessoas com máscaras de proteção contra o coronavírus em região comercial de São Paulo (SP). (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - As ações colocadas em prática pelo Brasil no sentido de conter a pandemia de coronavírus não são "suficientes", aponta estudo elaborado por uma força-tarefa de quase 80 cientistas de instituições brasileiras e do Reino Unido.

"O estudo oferece evidências de que as intervenções em vigor continuam insuficientes para manter a transmissão do vírus sob controle no país", diz trecho do artigo, o primeiro sobre a pandemia na América Latina a ser publicado pela revista Science, nesta quinta-feira (23), de acordo com reportagem da BBC Brasil.

O estudo tem como base dados colhidos entre março e abril em 85 municípios brasileiros e aponta também que, apesar de insuficientes, medidas como o fechamento do comércio e de escolas em São Paulo e no Rio de Janeiro chegou a reduzir a taxa de transmissão do vírus para até um terço do registrado antes das ações.

O Brasil registra mais de 80 mil mortes e ultrapassa os 2 milhões de casos registrados. Outro estudo, feito pelo centro de acompanhamento de epidemias do Imperial College, concluiu que a pandemia no Brasil está descontrolada há 13 semanas.

Pela 13ª semana seguida, a taxa de contágio (Rt) brasileira está acima de 1, o que significa que a velocidade de infecção está crescendo. A taxa indica para quantas pessoas em média cada contaminado pelo novo coronavírus transmite o patógeno.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247