Estudo aponta que mutação pode ter tornado o coronavírus mais vulnerável a vacinas

Um grupo liderado pelo cientista Drew Weissman, da Universidade de Pensilvânia (EUA), destacou que vacinas estão sendo desenvolvidas para combater esses espinhos. O objetivo é induzir a formação de anticorpos neutralizantes que atacam a proteína S

Potencial vacina contra Covid-19 é aplicada em Tuebingen, na Alemanha
Potencial vacina contra Covid-19 é aplicada em Tuebingen, na Alemanha (Foto: REUTERS/Kai Pfaffenbach)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um grupo liderado pelo cientista Drew Weissman, da Universidade de Pensilvânia (EUA), apontou que a mesma mutação genética que aumentou as infecções do coronavírus também pode torná-lo mais vulnerável às vacinas. 

De acordo com a pesquisa, publicada nesta sexta-feira (24), a mutação nomeada D614G aumentou o número de espinhos, ou "spikes" do coronavírus Sars-Cov-2. As estruturas são formadas pela proteína S. Os espinhos permitem ao vírus se conectar às células das mucosas e infectá-las, para começar a sua duplicação. 

As vacinas estão sendo desenvolvidas para combater esses espinhos. O objetivo é induzir a formação de anticorpos neutralizantes que atacam a proteína S. Com mais espinhos, haverá mais espaço para os antígenos da vacina atuarem na defesa do organismo, disseram os pesquisadores em um artigo ainda não revisado por pares (pré-print). Foi publicado na plataforma MedRXiv.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247