Governo requisita seringas tardiamente e entrega será até julho

Em meio a tentativas fracassadas na aquisição de insumos para a vacinação em massa, o governo buscou a Opas para tentar a compra de mais 150 milhões de unidades, além dos 40 milhões previstos. A entrega começa neste mês, mas o prazo final foi estendido até julho

Eduardo Pazuello e Jair Bolsonaro
Eduardo Pazuello e Jair Bolsonaro (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo Bolsonaro dá mais um passo de total descontrole no plano nacional de imunização contra a Covid-19. Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, o braço da OMS (Organização Mundial de Saúde) nas Américas, a Opas (Organização Pan-Americana de Saúde) entregaria, até março, 40 milhões de seringas e agulhas ao Ministério da Saúde. A entrega começa neste mês, mas o prazo final foi estendido até julho.

A reportagem acrescenta que, por ter deixado para a última hora, a pasta vem encontrando uma série de dificuldades para comprar os insumos. Iniciativas do ministério falharam na tentativa de aquisição de seringas e agulhas que garantam a vacinação contra a Covid-19. Um pregão no antepenúltimo dia de 2020 fracassou: de 331,2 milhões de itens, apenas 7,9 milhões (2,3%) foram assegurados. Em meio ao fracasso, o ministério buscou a Opas para tentar a aquisição de mais 150 milhões de unidades, além dos 40 milhões previstos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email