Manaus: alta de 578% de óbitos por doenças respiratórias levanta suspeitas sobre subnotificação do coronavírus

Nos 28 primeiros dias do mês passado foram 1.181 óbitos por essas causas contra 174 no mesmo período em 2019 - uma alta de 578%

(Foto: Alex Pazuello)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com o sistemas de saúde pública e funerário totalmente colapsados, Manaus teve uma explosão de mortes por causas respiratórias em abril. Nos 28 primeiros dias do mês passado foram 1.181 óbitos por essas causas contra 174 no mesmo período em 2019 - uma alta de 578%.

Porém, apenas um em cada quatro mortes por doenças respiratórias foram indicadas e confirmadas como coronavírus, 303 ao todo, o que levanta suspeitas sobre o tamanho da subnotificação de casos do vírus no estado e no Brasil.

Outro dado importante é que as causas respiratórias responderam por 50,4%, em abril, dos óbitos da capital amazonenses, quase o dobro do mês em 2019, quando essas mortes foram 25,9% do total.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247