Mortes por "causas mal definidas" crescem 30% durante a pandemia e apontam para subnotificação da Covid

Foram registradas 22.464 mortes por "causas mal definidas" a mais em 2020 em relação a 2019

(Foto: REUTERS/Bruno Kelly)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O número de mortes em decorrência de "causas mal definidas", segundo a Folha de S. Paulo, cresceu 30% no Brasil no primeiro ano da pandemia. Para especialistas, o dado reforça a possibilidade de subnotificação de óbitos pela Covid-19.

Foram registrados como "casos mal definidos", por exemplo, aqueles óbitos ocorridos em casa ou em hospital, sem assistência ou com causa desconhecida. 

Ocorreram 97.436 óbitos desse tipo no país no ano passado, contra 74.972 em 2019; um aumento, portanto, de 22.464 casos em um ano. O número representaria 11,5% dos 194.976 mortos brasileiros em decorrência do coronavírus em 2020.

PUBLICIDADE

Os dados citados foram coletados do SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade) do Ministério da Saúde pela médica epidemiologista e especialista sênior da Vital Strategies Fatima Marinho. "Geralmente as mortes no domicílio, quando são mal definidas, ocorrem na população mais pobre, que não teve acesso a médico ou estava sem assistência médica nos dias que antecederam o falecimento, não tendo sido possível conhecer a causa da morte sem outras investigações".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email