OMS aponta 'tendência de queda' do coronavírus no Brasil, mas defende mais ações para reduzir transmissão

"Há uma tendência de queda no Brasil, mas são necessárias mais ações para reduzir essa taxa de transmissão. Quando países como o Brasil, EUA e Índia controlam a doença, contribuem para o planeta", afirmou Ryan

Chefe do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan
Chefe do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com Reuters - O diretor de emergências da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, afirmou nesta sexta-feira, 21, que o Brasil chegou à estabilidade no número de novos casos e mortes "graças também ao esforço dos profissionais de saúde", mas que evolução da doença demanda atenção. 

"Há uma tendência de queda no Brasil, mas são necessárias mais ações para reduzir essa taxa de transmissão. Quando países como o Brasil, EUA e Índia controlam a doença, contribuem para o planeta", afirmou Ryan. 

Também nesta sexta, o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que a crise do coronavírus possa acabar em menos de dois anos. “Nossa situação, agora com mais tecnologia, claro que com mais conectividade, o vírus tem mais chance de se difundir, pode se propagar rápido”, disse.

“Ao mesmo tempo, temos a tecnologia e o conhecimento para impedir isso.” Mais de 22,81 milhões de pessoas foram infectadas pelo coronavírus em todo o mundo, e 793.382 morreram, de acordo com uma contagem da Reuters.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247