OMS desmente versão do NYT de que a China não teria colaborado com investigações sobre origem do coronavírus

Jornal publicou reportagem afirmando que autoridades chinesas se recusaram a colaborar plenamente com os esforços da investigação da OMS. Zoólogo que esteve na equipe em Wuhan disse ser vergonhoso o New York Times citar erroneamente especialistas para encaixar sua própria narrativa

A vida em Wuhan está gradualmente voltando ao normal
A vida em Wuhan está gradualmente voltando ao normal (Foto: Xinhua)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Médicos e epidemiologistas da OMS que visitaram recentemente Wuhan criticaram o New York Times por distorcer suas palavras e lançar sombras sobre os esforços da equipe que visitou a região para descobrir as origens do vírus.

Depois que o NYT publicou uma reportagem afirmando que autoridades chinesas se recusaram a colaborar plenamente com os esforços de uma investigação da Organização Mundial de Saúde (OMS), o zoólogo Peter Daszak saiu em defesa da China.

Na reportagem, parte da imprensa norte-americana escreve que "na viagem da OMS, a China se recusou a entregar dados importantes", acusando a China de não compartilhar dados importantes que podem ajudar a identificar as origens do vírus e prevenir surtos futuros.

Após a história ter se popularizado nas redes sociais, Peter Daszak, que fez parte da equipe de especialistas da OMS em Wuhan, na China, disse em uma rede social que é vergonhoso para o New York Times citar erroneamente especialistas da entidade para encaixar sua própria narrativa.

Esta não foi a minha experiência na minha missão na OMS. Como líder do grupo de trabalho animal/meio ambiente, encontrei confiança e abertura com meus colegas da China. Nós tivemos acesso amplo a todos os novos dados. Nós aumentamos o nosso entendimento sobre os prováveis caminhos.

"Ouvir! Ouvir! É decepcionante gastar tempo com jornalistas explicando as principais descobertas de nosso exaustivo trabalho de um mês na China, para ver nossos colegas seletivamente citados erroneamente para se encaixar em uma narrativa que foi prescrita antes do início do trabalho. Que vergonha NYT!", escreveu Daszak em outra postagem.

Thea Kolsen Fischer, epidemiologista dinamarquesa da equipe, enalteceu a postura de Daszak. Ela também se posicionou nas redes.

Esta não foi minha experiência no time Epi. Nós construímos um bom relacionamento na equipe chinesa e internacional! Permitir discussões acaloradas reflete um nível profundo de envolvimento na sala. Nossas citações são propositalmente distorcidas lançando sombras sobre importantes trabalhos científicos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email